segunda-feira, 19 de setembro de 2011

"Que saudade da minha infância"

Hoje recebi um email que me fez recordar da minha infância... como era bom.. igualzinha ao texto!!
Difícil aceitar que hoje nossas crianças não terão a mesma infância que nós, mas nós mães faremos o máximo pra que chegue, ao menos, pertinho do que foi, mesmo com o império da era cibernética que parece que as crianças já nascem com ela correndo nas veias rsrsrs...
Segue abaixo o texto de Ismael Gaião:



No tempo da minha infância
                                         
No tempo da minha infância
Nossa vida era normal
Nunca me foi proibido
Comer açúcar ou sal
Hoje tudo é diferente
Sempre alguém ensina a gente
Que comer tudo faz mal

Bebi leite ao natural
Da minha vaca Quitéria
E nunca fiquei de cama
Com uma doença séria
As crianças de hoje em dia
Não bebem como eu bebia
Pra não pegar bactéria

A barriga da miséria
Tirei com tranquilidade
Do pão com manteiga e queijo
Hoje só resta a saudade
A vida ficou sem graça
Não se pode comer massa
Por causa da obesidade

Eu comi ovo à vontade
Sem ter contra indicação
Pois o tal colesterol
Pra mim nunca foi vilão
Hoje a vida é uma loucura
Dizem que qualquer gordura
Nos mata do coração

Com a modernização
Quase tudo é proibido
Pois sempre tem uma Lei
Que nos deixa reprimido
Fazendo tudo que eu fiz
Hoje me sinto feliz
Só por ter sobrevivido

Eu nunca fui impedido

De poder me divertir
E nas casas dos amigos
Eu entrava sem pedir
Não se temia a galera
E naquele tempo era
Proibido proibir

Vi o meu pai dirigir
Numa total confiança
Sem apoio, sem air-bag
Sem cinto de segurança
E eu no banco de trás
Solto, igualzinho aos demais
Fazia a maior festança

No meu tempo de criança
Por ter sido reprovado
Ninguém ia ao psicólogo
Nem se ficava frustrado
Quando isso acontecia
A gente só repetia
Até que fosse aprovado

Não tinha superdotado
Nem a tal dislexia
E a hiperatividade
É coisa que não se via
Falta de concentração
Se curava com carão
E disso ninguém morria

Nesse tempo se bebia

Água vinda da torneira
De uma fonte natural
Ou até de uma mangueira
E essa água engarrafada
Que diz-se esterilizada
Nunca entrou na nossa feira

Para a gente era besteira
Ter perna ou braço engessado
Ter alguns dentes partidos
Ou um joelho arranhado
Papai guardava veneno
Em um armário pequeno
Sem chave e sem cadeado

Nunca fui envenenado
Com as tintas dos brinquedos
Remédios e detergentes
Se guardavam, sem segredos
E descalço, na areia
Eu joguei bola de meia
Rasgando as pontas dos dedos

Aboli todos os medos
Apostando umas carreiras
Em carros de rolimã
Sem usar cotoveleiras
Pra correr de bicicleta
Nunca usei, feito um atleta,
Capacete e joelheiras

Entre outras brincadeiras
Brinquei de Carrinho de Mão
Estátua, Jogo da Velha
Bola de Gude e Pião
De mocinhos e Cowboys
E até de super-heróis
Que vi na televisão

Eu cantei Cai, Cai Balão,
Palma é palma, Pé é pé
Gata Pintada, Esta Rua
Pai Francisco e De Marré
Também cantei Tororó
Brinquei de Escravos de Jó
E o Sapo não lava o pé

Com anzol e jereré

Muitas vezes fui pescar
E só saía do rio
Pra ir pra casa jantar
Peixe nenhum eu pagava
Mas os banhos que eu tomava
Dão prazer em recordar

Tomava banho de mar
Na estação do verão
Quando papai nos levava
Em cima de um caminhão
Não voltava bronzeado
Mas com o corpo queimado
Parecendo um camarão

Sem ter tanta evolução
O Playstation não havia
E nenhum jogo de vídeo
Naquele tempo existia
Não tinha vídeo cassete
Muito menos internet
Como se tem hoje em dia

O meu cachorro comia
O resto do nosso almoço
Não existia ração
Nem brinquedo feito osso
E para as pulgas matar
Nunca vi ninguém botar
Um colar no seu pescoço

E ele achava um colosso
Tomar banho de mangueira
Ou numa água bem fria
Debaixo duma torneira
E a gente fazia farra
Usando sabão em barra
Pra tirar sua sujeira

Fui feliz a vida inteira
Sem usar um celular
De manhã ia pra aula
Mas voltava pra almoçar
Mamãe não se preocupava
Pois sabia que eu chegava
Sem precisar avisar

Comecei a trabalhar
Com oito anos de idade
Pois o meu pai me mostrava
Que pra ter dignidade
O trabalho era importante
Pra não me ver adiante
Ir pra marginalidade

Mas hoje a sociedade
Essa visão não alcança
E proíbe qualquer pai
Dar trabalho a uma criança
Prefere ver nossos filhos
Vivendo fora dos trilhos
Num mundo sem esperança

A vida era bem mais mansa,
Com um pouco de insensatez.
Eu me lembro com detalhes
De tudo que a gente fez,
Por isso tenho saudade
E hoje sinto vontade
De ser criança outra vez

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Setembro..vídeo do tio doidao

video

"O divisor de águas"

Muitos me diziam.. calma, quando a Laura tiver 3 meses tudo vai passar você vai ver (quem nos conhece sabe que ela deu muito trabalho no que diz respeito a cólica, falta de sono, adaptação ao mundo exterior).
Laura tem melhorado a cada dia e GRAÇAS A DEUS constatamos que não foi o 3º, mas o 6º mês o divisor de águas na vida da nossa pequerruchinha; por isto não posso deixar de agradecer a todos os amigos e a nossa família que muito orou pra que ela estivesse assim hoje.
Como ela esta??? Aaaahh!!! Está MARAVILHOSA!! Eu sei, sei que vão dizer: mãe coruja, pai babão... mas gente.. este mês foi o que mais curtimos.
Farei aqui uma listinha das coisas boas que aconteceram;
- começou rastejar (parece uma minhoquinha);
- os dentes cresceram sem incômodos; (mamãe até já foi na palestra da odonto unesp pra começarmos cuidar deles e dos que virão);
- o vocabulário aumentou (babababa... gagaga.. dadada...) ah.. e chama todos os animais assim: uuuuu...huuuuuum..uuuu... (vovô diz que parece uma pombinha - o som é igual rsrsrsrs);
- fica atenta quando a gente pergunta as coisas: cadê o piu piu? olha pro alto procurando passarinho; cadê o au au? olha pro chão procurando a Ada e a Fly (nossas mini bassets); cadê a borboleta? procura o adesivo novo do quarto.. LINDA!!!;
- fica sentada sozinha; (às vezes ainda cai de lado ou fica igual joão bobo, mas tudo bem né..);
- quando vê o papai chegando do trabalho fica "maluquinha" e se ele finge que não tá nem aí já fica brava, resmunga e acaba com um choramingo que é a coisa mais gostosa de ver;
- pra encerrar, o que deveria estar no topo desta lista  (porque papai e mamãe já estavam a 6 meses acordando MUITAS vezes durante a noite por causa da tua agitação), O SONO ININTERRUPTO.. VITÓOOOORIA!!! \o/ \o/  Ufaaaa.. q delícia voltar a dormir uma noite inteira! Tudo bem que tem noites que a temos que acordar, mas são só algumas noites, nas demais.. soninho tranquilo... do jeito que a gente coloca ela acorda..LOUVADO SEJA DEUS!!
Bom.. o que eu me lembro é isto.. lógico que tem muitas outras coisas, mas são inexplicáveis em palavras e só quem passa por esta coisa linda e única chamada MATERNIDADE pode sentir.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Utilidade NOTA MIL

Como escrevi ontem.. EU AMO COISAS DIFERENTES E PRÁTICAS (quem não gosta hoje em dia???).
Nas minhas viagens virtuais estes dias me deparei com um apetrecho fantástico para quem está iniciando a arte do banho. Trata-se de uma "banheira" portátil que se encaixa em (pelo jeito) qualquer pia. APAIXONEEEEEI e digo.. se tivesse no Brasil (não consegui encontrar nenhum site de venda por aqui) já teria comprado. Aos aficionados por compras internacionais e que estão com recém-nascidos talvez compense investir. Fica aí a dica e o link para a PUJ TUB.


Ps: Se o recém-nascido for grande eu acredito que não dê pra usá-la =s

terça-feira, 13 de setembro de 2011

6 meses

 Q frio!! Mas mesmo assim não deixo de brincar


 Rastejando na nossa cama


Brincando com o Pocoio do JV

Nova ginástica... mordida de dedão


Minhas mãaaaos!!!


Que tal uma voltinha no carrão do JV?!

"Trecos" legais

Sempre gostei de novidades e vivo à caça delas. Todavia, não saio comprando tudo que vejo, mesmo porque muitos dos "trecos" que encontro são caros e não compensa o investimento visto que as crianças crescem tão rápido que acabam usando pouquíssimas vezes.
Também, criança não entende se é liiiiiiiiiiiiindo ou lindo, interessante ou não.. tenho percebido/aprendido, com a nossa "batatinha" que o que importa é ser colorido e, às vezes, fazer barulho (as mães nem sempre gostam dos que fazem barulho, mas as crianças amam rsrsrs...)
Uma coisa que fiquei muito a fim de comprar foi o tal tapete de atividades, mas quando descobri que isto existia e fui ver os preços =O Sem chance.. Apesar de variarem bastante, não custam menos que 100 reais. Outrossim, quando, já já, começar a engatinhar não vai querer ficar paradinha embaixo dele. Então, deixei pra lá... nada que uns brinquedos coloridos pendurados sobre o trocador dela não surta efeito rsrsrs...

Outra coisa legal que vi e muito me interessou foi "bouncer".. que "treco" legal.. mas também inacessível à maioria das mães (carinho que dói rsrsrs...). Eu também não comprei e acabei recorrendo a velha cadeira de balanço da minha avó; eram só 2 minutinhos com a Laura no colo e ela já "capotava". O bouncer tem a vantagem de você colocar o bebê ali e você poder fazer suas coisas; não que você vá deixar o bebê sozinho, longe dos teus olhos, mas não precisa ficar com ele no colo o tempo todo. Dou nota 10 pra este "treco".

Coisas muito práticas e que valem a pena investir são: o berço portátil e a cadeira de papa que encaixa na mesa . São perfeitos para usar em casa e para quem viaja bastante. Laura que o diga!!
A cadeira é bem acessível se comparada as big cadeiras de papa que vemos nas lojas (que apesar de lindas não são nada práticas, ocupam um super espaço e são caras). Já o berço portátil, apesar de não ser tão barato é algo que tem um custo/benefício excelente, porque além de berço com o passar do tempo/crescimento do bebê ele servirá como cercadinho. Então, na minha opinião compensa "investir" nestas duas peças que já fazem parte da vida da nossa lady =)

Ahh...Estes dias dei um up no quarto da Laura. Ele era um quarto de bebê mesmo, como todos os especialistas indicam. Tudo muito clean  pra deixá-la sempre zen rsrsrs..
Mas, senti que agora o quarto precisava mudar, porque a idade (6 quase 7 meses) estava exigindo. Sendo assim, vai mais uma dica pra quem gosta de decorar e não quer gastar muito com isto.
Fui a uma loja super famosa que existe  (acredito eu) em todas as cidades, vilas, vilarejos do Brasil afora; a loja chama-se 1,99. Verdade!!! Fui lá e comprei uma cartela enorme de adesivos de parede. O que as lojas ainda cobram caro pra fazer eu fiz e só me custou R$ 3,90. Isto mesmo!! Só isto!! e.., modéstia parte, ficou lindo.. (é o que todos disseram.. inclusive a Laura kkk..)
Depois de seguir todas as instruções (3) levamos Laura pra ver o resultado e ela amou, haja visto o monte de gritos e pernas e braços movimentados sem parar, corpinho empurrando-nos pra frente para tocar os bichos, flores...


Pra encerrar o up, demos uma ajeitada no quarto (que é pequeno) e colocamos um pedaço do grande tapete de e.v.a. que a tia Elis e o tio Jair emprestaram pra que a Laura começasse a sua saga... rastejar, engatinhar, sentar...


Test Drive do tapete... aqui ainda na sala da vovó


Na verdade, há muitas novidades hoje em dia, nem tudo é acessível porque a lei da oferta e da procura ainda impera, mas há muitas coisas baratas que ainda alegram e distraem nossos pimpolhos. Precisamos somente usar a criatividade para distrai-los sem que precisemos gastar muito. O importante na verdade é o contato da família enquanto o bebê se desenvolve e não somente os meios que são utilizados para tal.
Divirtam-se com os babies eles crescem rápido demais.



terça-feira, 6 de setembro de 2011

Vi esta dica no blog Gosto que se Discute e achei muito válido postar aqui.
O site alemão Mach’s Grün (Make it green – Faça verde) criou um programa chamado “Meu blog é carbono neutro” e ele planta uma árvore na Califórnia para cada blog que divulgar o programa.

Iniciativa muito legal, com esse post, eles irão plantar uma árvore para o Copy & Paste e assim eu estarei neutralizando todo o carbono emitido pelos acessos ao meu blog. 
Participe também, precisamos de ações desse tipo sempre!


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Há 15 dias tivemos a feliz notícia que nossos amados amigos J&E estavam "grávidos". Festa aqui, festa lá e acolá. Mais uma vez todos na torcida pra que desta vez pudéssemos ver a felicidade deles ser completada pela chegada de uma criança. Entretanto, não foi assim que Deus quis. A alegria tornou-se em pranto e todos que antes oravam por esta gravidez agora oram pela recuperação do casal que agora sofre mais uma dífícil perda.
Neste momento, pensamos muitas coisas... todos nós... seus amigos, irmãos na carne e na fé... por que isto ou aquilo.. por que???? Tantas interrogações e pensamentos, mas nós que servimos a Deus sabemos que Ele permite o que é melhor aos Seus filhos (ainda que o acontecimento seja triste) porque enxerga o futuro.
Apoiados neste sentimento, apesar da tristeza que invade os nossos corações, cremos que o tempo de abraçar uma criança na vida deles ainda não chegou e por isto oramos para que Ele, que é Dono de Tudo, envie o consolo aos nossos amados amigos.
Todavia, em meio a esta “tempestade” desfrutamos (nós e eles) bens maravilhosos, quais sejam o amor fraterno e a caridade que Deus dispensou nos corações de todos aqueles que tem cercado este casal de cuidados, cumprindo o que o apóstolo Paulo escreveu Aos Romanos 12:15 "Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram".
Outrossim, encontrei um texto da Marta Medeiros que nos faz refletir e espero que ajude nossos amados amigos e a nós, seus amigos, também. Segue abaixo:


Imitação da vida
Depois de uma grande tragédia pessoal é preciso voltar a viver
Fui ao cinema ver Michelle Pfeifer em Nas Profundezas do Mar sem Fim, que conta a história de uma mãe que perde um de seus filhos, de três anos, num saguão de hotel e só volta a encontrá-lo nove anos mais tarde. O roteiro preguiçoso resultou num filme raso, mas uma frase dita pela personagem de Whoopi Goldberg me trouxe até aqui. Depois de todos os abalos familiares decorrentes do desaparecimento do filho do meio, a mãe vivida por Michelle Pfeifer se refaz e constrói, aos poucos, o que a detetive vivida por Whoopi chama de “uma boa imitação de vida”. Pessoas que passam por uma grande tragédia pessoal têm vontade de dormir para sempre. Nos dias posteriores ao fato, não encontram forças para erguer uma xícara de café ou pentear o cabelo. Sorrir passa a ser um ato transgressor, que gera uma culpa imensa, pois é como se estivéssemos nos  curando do sofrimento.
Passada a fase de hibernação voluntária, porém, é isso que tem que acontecer: curar-se. Voltar a viver. Mas como, se já não existe a alegria original? Rastreando a alegria perdida para tentar imitá-la. Respeito quem consegue reproduzir uma vida normal mesmo trazendo dentro de si uma dor permanente e respeito ainda mais quem consegue transformar essa dor em ações solidárias, como a que resultou no projeto Vida Urgente, idealizado por um casal que perdeu um filho num acidente de automóvel e que hoje se dedica a evitar que outras famílias passem pelo mesmo drama.
Isso deixa de ser uma imitação de vida, isso é um renascimento espontâneo e glorioso. A vida como ela é, ou deve ser, inclui festas de Natal, férias na praia, bate-papos informais com amigos, comemorações de aniversário, sorrisos para fotos. Coisas triviais que são fáceis e prazerosas para quem tem o coração leve, mas que podem ser penosas para quem possui recordações que não se quer, nem se pode, abandonar.
Para essas pessoas, fatiar um peru, fazer um brinde, falar banalidades, até mesmo um banho de mar, tudo tem que ser reaprendido, tudo tem que voltar a ser um ato inocente. Imitar essa inocência não é um processo fácil e tampouco natural, mas é uma sobrevivência legítima. Mais ainda: é um ato de generosidade, pois revela a consciência de se continuar a pertencer a uma sociedade e de exercer um papel importante na vida de quem nos rodeia.
O filme explorou medianamente esse aspecto, mas acabou se rendendo a soluções fáceis e inverossímeis, em busca de um final que rendesse boa bilheteria. Não permitiu que a imitação fosse adiante, quis que a felicidade voltasse a ser original. Que bom ter um roteirista à mão para facilitar as coisas. Não havendo, o jeito é plagiar a própria vida, que sempre é melhor do que entregar os pontos.


Termino com uma mensagem de Edilson Ramos


Queridos amigos!! Indiferente do problema, do momento "ruim" que vocês possam estar passando sempre pensem que as coisas boas superam nossas tristezas. Lembrem-se que vossa  fé supera qualquer dificuldade, que seus sonhos e metas de vida e superam a realidade momentânea. Amigos vamos lá, superem-se, pois a vida é superação e acredite você pode é só querer!!
Nosso amor a Deus, ao próximo, à vida, nos faz superar tudo!
A nossa alegria supera nossa tristeza, nosso consolo supera nossa dor, nossa fé supera nossa dúvida, nossa esperança  supera nosso desespero, nosso entusiasmo supera nosso desânimo,nosso sucesso supera nosso fracasso,nossa coragem supera nosso medo,nossa força supera nossa fraqueza, nossa perseverança supera nossa inconstância,nossa paz supera nossa guerra, nossa luz supera nossa escuridão,nossa voz supera nosso silêncio, nossa paciência supera nossa impaciência, nosso descanso supera nosso cansaço, nosso conhecimento supera nossa ignorância, nossa sabedoria supera nossa tolice, nossa vitória supera nossa derrota, nossa ação supera nosso tédio, nosso ganho supera nossa perda, nossa resistência supera nossa fragilidade, nosso sorriso supera nosso choro, nossa gratidão supera nossa ingratidão,nossa riqueza supera nossa pobreza, nosso sonho supera nossa realidade...
 

Nossas orações continuarão por vocês!
Deus os console.